A origem do bolo de aniversário, das festas e das velas

A tradição utilizada atualmente por praticamente todas as pessoas de festejar as festas de aniversário foi inicialmente considerada um costume pagão pela Igreja Católica e ficou proibida por muitos séculos, mas por volta do século 5 finalmente acabou sendo liberada com o início das celebrações do nascimento de Jesus.

As comemorações entre as pessoas na realização de festas só se tornou comum no Ocidente a partir do século 19, quando, na Alemanha, foi organizado um festival comemorativo coletivo, que acabou se tornando uma nova tradição que se espalhou pelo mundo.

A tradição de sempre comemorar a data em que uma pessoa completa mais um ano de vida não é totalmente seguida no mundo. No Vietnã, por exemplo, tal comemoração não se dá na data específica do nascimento, mas na passagem do ano novo, de forma coletiva.

Bolo de aniversário

As festas de aniversário surgiram no Ocidente. Desde a Antiguidade os romanos já comemoravam o dia do nascimento de uma pessoa, conhecido como “dies sollemnis natalis”. Mas os tradicionais bolos de aniversário surgiram mesmo na civilização grega, quando os adoradores da deusa da fertilidade, Ártemis (deusa grega da fertilidade e da Lua), passaram a oferecer em seu templo um preparado de mel e pão, no formato de uma lua.

A receita do “bolo grego” acabou se popularizando e se espalhando para outras culturas, dando origem ao bolo de aniversário que conhecemos hoje.

Velas

Já as velas que são colocadas em cima do bolo também tiveram seu início na época dos deuses antigos, pois as pessoas acreditavam que a fumaça delas levavam as preces dos fiéis mais perto do céu, além de que, acreditavam que elas tinham o poder de proteger o aniversariante dos espíritos ruins e garantir sua proteção para o ano vindouro. Posteriormente a ideia “pegou”, e a tradição se estende até hoje.

VEJA ESSES ARTIGOS TAMBÉM:

Deixe seu comentário

Clique aqui para deixar um comentário