A evolução das bicicletas: A história das bicicletas

A evolução das Bicicletas: A História das Bicicletas

Sem correia, pedais e pneus, a bicicleta teve um estranho nascimento, e uma base final que pode agradar a todos os gostos. Desde modelos para corridas, os ditos profissionais, os modelos urbanos e até mesmo as colecionáveis.

É engraçado ver seu crescimento ao longo dos anos e como os modelos mudaram tanto. Continue lendo para conhecer a evolução das bicicletas!

A evolução das bicicletas: três passos até os dias de hoje

O primeiro modelo:

Na história há sempre muitas contestações com a origem de criações que se tornaram populares. Portanto, consideramos aqui como o projeto principal de bicicleta sendo atribuído ao barão alemão Karl von Drais, de 1817.

A obra rapidamente caiu nas graças do povo, sendo chamada de Velocípede ou Draisiana. Contava com um quadro de madeira, assento em couro, rodas sem pneus e um guidão curvado que não parecia de fácil acesso.

No início a propulsão humana era apenas pelo impulso das pernas. Não existiam pedais ou correias para utilizar a força da pedalada.

O cidadão apenas sentava no assento e se impulsionava com os pés, como se fosse uma cadeira de roda, mas sem as rodas paralelas. Você pode ver um video de uma reprodução do modelo clicando aqui.

Provavelmente não seria muito simples subir algum morro, mesmo assim, o invento fez sucesso com o povo, sendo uma alternativa mais barata que outros meios de locomoção.

Veja também: Países com maior número de bicicletas por habitantes.

Finalmente a bicicleta com pedais:

Ao utilizar uma base muito próxima da Draisiana, o ferreiro escocês Kirkpatrick MacMillan resolveu adicionar pedais ao projeto em 1839.

Contudo, a fabricação começou apenas 30 anos após esse projeto, pelo inglês Thomas McCall, o que é motivo de debate entre pesquisadores, já que não há esboços que liguem MacMillian à confecção.

Mesmo já possuindo pedais, o funcionamento da bicicleta era bastante arcaico. O mecanismo era similar ao impulso utilizado em pedalinhos, e a roda traseira era ligeiramente maior que a frontal, para que pudesse realizar um impulso significativo ao andar.

Talvez um dos maiores ícones das bicicletas, o modelo Ariel, de James Starley passa a ser produzida em 1870.

A grande característica nesse modelo era justamente ter uma roda ridiculamente grande na frente, pedais no centro desta roda, e um banco no topo do quadro que circulava a roda.

Ocasionalmente, a segurança com tal modelo era questionável. Era muito difícil parar sem alguma escora ou apoio, e igualmente difícil era subir num veículo tão alto.

A bicicleta moderna:

Percebendo a popularidade das bicicletas entre diversos públicos, John Dunlop resolve incorporar pneus às rodas em 1888. Pouco tempo depois, em 1890 é iniciada a produção de bicicletas em massa. O quadro diamante, como é conhecido o tipo que possui um triângulo vazio entre as hastes principais, já era utilizado de maneira mais primária.

Com o público feminino sendo um grande adepto das bicicletas e utilizando-as em prol da liberdade, em 1920 a popularização dos carros passa a desafiar o mercado das bicicletas.

design então passa a ser mais chamativo e apelativo para as crianças, expandindo os modelos até o que se conhece hoje.

Conheça o modelo de bicicleta futurístico

A evolução das bicicletas conitnua. Com novas tecnologias sendo implementadas, elas se tornam cada vez mais modernas.

Baterias, motores, design mais eficiente… São inúmeras as possibilidades. Quem sabe até mesmo piloto automático?

Confira o nosso texto sobre um modelo de bicicleta elétrica futurística!

Você pode assistir esse video animado sobre a história da evolução das bicicletas!