Curiosidades

Veja como surgiram as fichas telefônicas

As fichas de telefone surgiram no Brasil na década de 60. Seu diâmetro variava de 20 mm a 30 mm e eram fabricadas com ferro, latão,cobre, zamac, entre outros.

Bastava você colocar a ficha em um compartimento acima do orelhão e começar a falar, para ligações locais com uma ficha você falava 3 minutos e nas ligações de longa distância 18 segundos, era uma atrás da outra. Quando estava perto do tempo acabar, o orelhão emitia um som de “bip” avisando que teria que colocar outra ficha, senão a ligação cairia. As fichas não utilizadas eram devolvidas, no caso de colocar muitas ao mesmo tempo. Na época as ligações à cobrar ainda não existiam.

Elas vinham com o nome das companhias de telefonias responsáveis cravadas no versos, divididas por regiões e cada uma delas funcionavam somente em um determinado telefone público.

fichas telefonicas de varias regioes

Se caso você fosse para o Rio de Janeiro, ou Espírito Santo, suas fichas compradas em São Paulo não serviriam, tendo então que comprar fichas na região em que estivesse. Devido essa limitação, a empresa CTB, em 1970 acabou sentindo a necessidade de padronizar as fichas, e assim fez, passando então a servir em qualquer telefone do território nacional.

Em meados de 1992, devido aos custos altos para manutenção, recolhimento das fichas nos telefones e também o vandalismo, a empresa Telebrás se juntou ao seu centro de pesquisa para desenvolverem os famosos cartões telefônicos. Com isso, a empresa reduziu em muito os altos custos de manutenção e reparo dos aparelhos e proporcionou maior comodidade aos usuários do serviço.

Acredito que um dos fatores primordiais que mais ajudaram na mudança tenha sido a questão dos vândalos, que quebravam o compartimento onde ficavam armazenadas as fichas para roubá-las, era raridade você não encontrar um orelhão destruído e rompido.

Veja mais

De onde originou a palavra motel?

Como é escolhido o nome de um furacão?

Anos depois, foram criados dois tipos de fichas telefônicas para todo o território nacional. As de ligações interurbanas que só funcionavam em telefones públicos azuis, e as de ligações locais que funcionavam somente em telefones públicos vermelhos. Isso ajudou a não congestionar os telefones.

A telefonia pública brasileira não é um serviço novo. Desde a década de 1920 que a população já tinha conhecimento sobre os chamados telefones “semi-públicos” (telefones de bares e restaurantes). Mas, de verdade a história da telefonia pública brasileira começou mesmo em meados de 1934, quando a CTB (Companhia Telephonica Brasileira) instalou na cidade de Santos, no litoral paulista, os primeiros telefones públicos.

REDES SOCIAIS

Newsletter

Receba novidades no seu e-mail.

Parceiro