Veja como são feitas as camisinhas

1. Extração e preparação

O látex natural, matéria prima para fazer a camisinha vem da Malásia e fica armazenada no estado líquido em grandes tonéis.

A matéria prima do látex é extraída da seiva da seringueira. O líquido extraído é misturado com estabilizadores e produtos químicos que desembocam em tinas para a maturação, de três a cinco dias. A mistura é colocada em tanques onde estão submersos os moldes que dão forma ao látex.

2. Acabamento (lavagem, centrifugação e secagem)

Os preservativos são colocados em máquinas de lavar e para retirar o excesso de produtos químicos e aplicar o bactericida.

A parte de fazer a textura é só depois de já colocadas em uma emulsão de silicone e um composto em pó. Posteriormente, ela vai para uma centrífuga para tirar a umidade. Depois de seco, o enxofre é aplicado ao látex, que obtém elasticidade e resistência. O composto é submetido a altas temperaturas.

3. Teste de qualidade

Funcionárias colocam os preservativos um a um em moldes chamados de scaners que funcionam com corrente elétrica que detectam pequenos furos.

Um segundo teste visual é realizado para checar se ainda existem defeitos nas aderências e partes da camisinha. As camisinhas que passam no primeiro teste são encaminhadas para outro setor. As que não estão de acordo são descartadas.

As peças aceitas são submetidas a inspeções eletrônicas, em uma máquina de alta voltagem. Perfurações minúsculas são detectadas.

4. Embalagens primárias e secundárias

Sem defeitos, as camisinhas passam pela equipe de selagem, que passa o lubrificante com silicone, o espermicida e, em alguns casos, o aromatizante. As peças são enroladas e lacradas em saquinhos individualmente e com o número do lote. Essa identificação é importante para que sejam identificados possíveis preservativos com problemas.