Veja as 10 curiosidades sobre o Vaticano

Vaticano ou Cidade do Vaticano, oficialmente Estado da Cidade do Vaticano, é a sede da Igreja Católica e uma cidade-Estado soberana sem costa marítima cujo território consiste de um enclave murado dentro da cidade de Roma, capital da Itália.

Existe desde 1929 e é distinta da Santa Sé, que remonta ao cristianismo primitivo sendo a principal sé episcopal de 1,490 bilhão de católicos romanos, sendo os latinos e orientais de todo o mundo. Os documentos oficiais da Santa Sé são emitidos principalmente em latim, e as Ordenanças em italiano.

As duas entidades ainda têm passaportes distintos: a Santa Sé, como não é um país, apenas trata de questões de passaportes diplomáticos e de serviço; o estado da Cidade do Vaticano cuida dos passaportes comuns. Em ambos os casos, os passaportes emitidos são muito poucos.

1. Estados papais

Foi aos pouco que os papas passaram a ter um papel secular como governadores de regiões próximas a Roma. Eles governaram os Estados Pontifícios. No início do império de Carlos Magno no século IX, durante o período de quase mil anos, os papas reinavam sobre a maioria dos Estados temporais do centro da Península Itálica, incluindo a cidade de Roma, e partes do sul da França.

Mas, durante maior parte do tempo, o Vaticano não foi a moradia habitual dos Papas, mas sim o Palácio de Latrão, e nos últimos séculos, o Palácio do Quirinal, enquanto a residência entre 1309-1377 foi em Avinhão, na França. As terras tinham sido doadas em 756 por Pepino, o Breve, rei dos francos.

2. População do Vaticano

A estimativa populacional do Vaticano é de cerca de 800 pessoas, das quais cerca de 450 possuem a cidadania do Vaticano, e as demais são apenas autorizadas a morar por tempo determinado ou mesmo permanentemente, mas sem direito de cidadania.

3. Índice de criminalidade

Em 2003 o índice de criminalidade por habitante era absurdamente alto. As estatísticas demonstravam que em apenas um ano na Cidade do Vaticano, havia ocorrido 397 delitos civis e 608 infracções penais, sendo assim, significava que na verdade existia mai infracções anuais do que pessoas no Vaticano.

É claro que, a maioria desses crimes eram realizados pelos turistas que visitavam a cidade. Os crimes mais comuns eram apenas pequenos furtos, e aproximadamente 90% deles não tiveram solução. O último crime realmente grave foi em 1998, quando um membro da Guarda Suíça matou seu comandante, a esposa de seu comandante, e se matou.

4. Guarda-costas

Os guarda-costas são considerados os melhores do mundo, pois eles continuam a proteger os papas a ponto de dar a sua vida em troca da deles. Eles se vestem com roupas simples e carregam armas de fogo, enquanto a maioria da Guarda Suíça se veste com trajes renascentistas, prestando serviços em cerimonias ou em postos de controle à volta do Vaticano.

5. Família Borgia

Os Bórgia foram uma família nobre hispano-italiana que se tornou proeminente durante o Renascimento. Atualmente, são lembrados por seu governo corrupto e o nome se tornou sinônimo de traição, adultério, roubo, suborno, fraude, violação, incesto, tortura, assassinatos e envenenadores; passando para a história como uma família cruel e ambiciosa pelo poder.

6. Como ser cidadão do Vaticano?

Conseguir um emprego é o primeiro passo para conseguir ser um cidadão do Vaticano, após o emprego arrumado e só pedir a cidadania. Porém, caso seja despedido, ou abandonar o seu trabalho na Cidade do Vaticano, automaticamente sera desconsiderado como um cidadão da cidade.

7. Reinados breves

Tiveram papas que ficaram apenas dias no legado, como é o caso do Papa Estevão II, que morreu após um  AVC (acidente acidente vascular cerebral) quatro dias depois de sua eleição e antes da sua consagração. O outro papa foi Urbano VII que conseguiu reinar por apenas 13 dias e por fim, Benedit IX que reinou por somente 11 dias.

8. Lavagem de dinheiro

Segundo especialistas, acredita-se que o Vaticano é um centro de lavagem de dinheiro usado pelos criminosos internacionais, sendo assim, de grande preocupação para o país. Não há leis para esse tipo de crime no seu sistema de fluxos de caixa.

O Banco do Vaticano, também conhecido como Instituto para as Obras Religiosas (IOR) chegou a ser investigado por suposta lavagem de dinheiro. O IOR é quem administra a maioria das contas das diversas ordens religiosas, assim como de associações católicas.

9. Acesso aos arquivos do Vaticano

Desde 1881, sob o reinado do Papa Leão XIII, que é permitido que os estudantes tenham acesso ao arquivos secretos do Vaticano. Atualmente, eles podem ser examinados com informações dos últimos mil anos. Se solicitar com antecedência, os acadêmicos podem ter acesso a determinados documentos dos arquivos, mas, como pode-se ver, o acesso ainda é restrito.

10. Banco do Vaticano

O banco do Vaticano é o único banco do mundo que concede transações em latim, sendo assim, considerado um símbolo de devoção ao idioma.

banco do vaticano

Fonte: Wikipédia
ASSINE NOSSA NEWSLETTER

REDES SOCIAIS

Parceiro