Quanto valia um escravo no Brasil antigamente?

escrava escravidão

A escravidão foi uma forma de relação social de produção adotada na época. Em território brasileiro, a escravidão prevaleceu por cerca de três séculos, do início da colonização à assinatura da lei Áurea. A escravidão no Brasil é sinalizada sobretudo pela exploração da mão de obra de negros trazidos da África e transformados em escravos no Brasil pelos europeus colonizadores do país.

A maioria dos escravos eram destinados a agricultura, onde a atividade açucareira estava em alta, e os demais na mineração, portanto, essenciais para a manutenção da economia.

A escravidão só foi oficialmente abolida no Brasil devido a assinatura da Lei Áurea, em 13 de maio de 1888, pela princesa Isabel, então regente do Império, em nome de seu pai, o imperador Dom Pedro II.

escravidão antigamente

Mas, independentemente da Lei aprovada, o trabalho compulsório e o tráfico de pessoas continuou a existir no Brasil atual, denominada então de escravidão moderna, que difere essencialmente da anterior.

Essa foi a situação, principalmente dos negros durante séculos, não só no Brasil, mas em todos os continentes durante todas as expansões econômicas e territoriais narradas pelos livros de História.

Eles chegavam a trabalhar mais de 16 horas por dia em troca de dinheiro que era o suficiente somente para a compra de alguns alimentos e mal dava para alugar uma simplérrima cama para eles dormirem. A maioria dos escravos eram imigrantes, que acabaram se tornando reféns de exploradores, o quais trabalhavam somente para pagar dívidas que pareciam não ter mais fim.

Os escravos eram separados por suas características, como idade, sexo e condições gerais de conservação, onde eram avaliados igual a gado.

escravo

É difícil determinar o valor de cada escravo no século XIX, pois os indicadores variam muito de preço, mas acredita-se que em 1846 uma saca era comprada a 12$000 réis, já o escravo valia 350$000 réis, os escravos com habilidades chegavam a valer 715$000 reis.

Entre  1856 e 1862, em Vassouras, 1 conto de réis (1:000$000=1 milhão de réis) comprava 1 escravo. Em 1860, 1 conto de réis (1:000$000=1 milhão de réis) comprava 1 kg. de ouro.

“Conto de réis” foi uma expressão adotada no Brasil e em Portugal para indicar um milhão de réis (R$ 1.000.000 ou R$ 1.000.000). Um conto de réis correspondia a mil vezes a importância de um mil-réis (R$ 1.000), sendo assim o real 1/1.000.000 de um conto de réis em representação matemática decimal atual.

Em Portugal, por ocasião da proclamação da República, o real foi substituído pelo escudo na razão de 1 escudo por mil-réis. Mesmo após a substituição do real pelo escudo, continuou a utilizar-se a expressão “conto”, agora para indicar mil escudos.

Veja as alterações das moedas que ocorreram ao longo do tempo, para que você possa entender e converter mil-réis em real:

1 Real vale:

  • 2750 crueiros reais;
  • 2.750.000 cruzeiros/ cruzados novos;
  • 2.750.000.000 cruzados;
  • 2.750.000.000.000 cruzeiros/ cruzeiros novos;
  • 2.750.000.000.000.000 cruzeiros;
  • 2.750.000.000.000.000.000 réis.

Quando a escravidão foi enfim abolida, no Brasil, os negros libertos infelizmente não tiveram grandes oportunidades na vida, e foram submetidos a trabalhos marginalizados para sobreviver. Atualmente, o trabalho escravo ainda existe, mas muito tem sido feito para reverter essa situação.

FONTE: Genealogia História
ASSINE NOSSA NEWSLETTER