Pessoas que corrigem erros gramaticais dos outros são menos sociáveis

Pessoas que tem o hábito de ficar corrigindo frequentemente os erros de gramática de outras pessoas dispõem de uma “personalidade menos amigável” em relação à aquelas pessoas que não se importam, segundo cientistas da Universidade de Michigan, nos Estados Unidos.

Além disso, os mesmos testes, focados na relação interpessoal online, apontam que, normalmente essas pessoas são menos abertas e mais predisposto a julgar você por seus erros.

É a primeira vez especialistas em psicologia viram a necessidade de investigar melhor esse tipo de comportamento, o da necessidade incansável de fiscalização e correção da gramática de outra pessoa.

Segundo publicação no PlosOne, um dos objetivos do estudo é compreender com mais detalhes nossa comunicação, ou também, a falta dela nas redes sociais. De acordo com a pesquisadora líder do projeto, Julie Boland, “é a primeira vez que os traços de personalidade de ouvintes e leitores têm efeito na interpretação da linguagem”, contou ela.

Neste experimento, examinamos os julgamentos sociais que leitores fazem sobre os autores“.

Esse estudo foi realizado com a participação de 83 pessoas. Foi solicitado que os mesmos efetuassem a leitura de e-mails de pessoas interessadas em mudar para uma casa.

Algumas dessas mensagens não continham nenhum tipo de erro gramatical, enquanto outras foram adulteradas para conter pequenos erros na língua portuguesa. Os participantes então teriam que analisar e julgar a pessoa que escreveu o e-mail com base em inteligência, entre outros atributos. No final da experiência, os especialistas questionavam as pessoas em relação aos erros gramaticais, e se isso teria se tornado um incomodo enquanto efetuavam a leitura.

Em outra etapa da pesquisa, os participantes foram convidados a  responderem um teste de personalidade, onde teriam que dar notas a si mesmos, em diversos aspectos de sua personalidade, como extroversão e introversão, potencial para ser neurótico, autoconsciência e o quanto se sentem confortáveis para criar laços sociais.

Em geral, os participantes levaram a conclusão de que as pessoas que que cometeram erros gramaticais não eram pessoas adequadas para dividirem o mesmo ambiente, sendo considerados os piores colegas de quarto, já os que não tiveram nenhum tipo de erro gramatical foram considerados as melhores pessoas para dividirem o quarto. Alguns desses participantes chegaram a ir mais longe em sua sentença, julgaram os erros de forma mais dura.

Pessoas extrovertidas se sentiram muito mais propensas a ignorar os erros e seguir adiante, já os introvertidos tiveram mais predisposição a encontrar defeitos de personalidade em quem escreveu emails com mais deslizes linguísticos.

Sendo assim, as pessoas mais fechadas e menos à vontade socialmente se incomodaram mais com os erros gramaticais.

Segundo os pesquisadores, isso ocorre porque “pessoas com menos sociabilidade são menos tolerantes a quem se desvia das convenções“. Curiosamente, ser mais ou menos neurótico não influenciou nos resultados.

Esse teste é apenas uma pequena amostragem de pessoas e um dos primeiros estudos que relacionam o comportamento social em redes sociais e o quanto julgamos as pessoas por seu uso da linguagem, então, ainda não é um teste 100% conclusivo, podendo ter alterações no decorrer de outros experimentos.

ASSINE NOSSA NEWSLETTER

Curta nossa página

Parceiro

O Super Curioso