Curiosidades Mistérios

Mistério do Triângulo das Bermudas desvendado

Não é de hoje que pesquisadores e estudiosos tentam descobrir os diversos mistérios que envolvem o Triângulo das Bermudas, uma famosa região entre Porto Rico, Floria e as Ilhas das Bermudas. São suposições, teorias e especulações, porém recentemente dois grandes cientistas australianos anunciaram que enfim conseguiram descobrir o porque dos desaparecimentos de navios e aviões naquela região.

Os australianos dizem que não tem haver sobre magnetismo, túneis do tempo, abduções por extra-terrestre, ou qualquer outro tipo de fenômeno metafísico. Segundo informações dos pesquisadores, o problema tem haver com gás, isso mesmo, gás metano.

O professor Joseph Monaghan e seu pupilo David May, da Universidade Monash de Melbourne na Austrália publicou no Jornal American of Physics a conclusão de todos os estudos em relação ao Triângulo das Bermudas.

Conheça os maiores mistérios da história

De acordo com Monagham, são grandes bolhas de gás metano que se desprendem do fundo do oceano (solo) e que são capazes de naufragar navios e derrubar aviões. Sendo assim, Monagham diz que esse fenômeno é a explicação para os diversos desaparecimentos ao longo da história.

No Mar do Japão e no Mar do Norte tem áreas onde já foram detectadas as bolhas de gás, de acordo com o investigador Ivan T. Sanderson, que na década dos anos 60 já teria identificado regiões do planeta onde se encontram grandes concentrações de metano.

O metano, formado após intensa atividade vulcânica submarina, está normalmente contido no interior das rochas, sob a alta pressão oceânica. Mas pode soltar-se naturalmente, porém, quando esse fenômeno ocorre, transforma-se numa gigante bolha que cresce exponencialmente enquanto sobe até à superfície. Mesmo depois de entrar na atmosfera, o gás continua a subir, expandindo-se lateralmente.

Os cientistas australianos chegaram a fazer algumas simulações pelo computador, e detectaram que qualquer navio pego por essa bolha perde imediatamente a sua capacidade de flutuação e, simplesmente, naufraga.

Se a bolha for suficientemente densa, é mesmo capaz de derrubar um avião (especialmente se este voar em baixa altitude) – o metano faz o aparelho perder a sustentação e provoca danos nos motores. Nestas circunstâncias, a aeronave cai no oceano e afunda-se rapidamente.

ESTÁ DIFÍCIL ACOMPANHAR TODOS OS ARTIGOS?
Receba diretamente em seu e-mail, um resumo com os novos artigos.

REDES SOCIAIS

Parceiro